Dieta para Hipertrofia: sempre ganhamos gordura junto?

Home » Nutrição e Performance » Dieta para Hipertrofia: sempre ganhamos gordura junto?

Dieta para Hipertrofia: sempre ganhamos gordura junto?
Julia Engel
Por Julia Engel

Muitas mulheres hoje em dia têm o objetivo de aumentar um pouco o volume muscular. Ficar mais forte e com os músculos mais aparentes não é mais somente desejo masculino. Afinal, é bonito ter um corpo durinho e definido, não é?

Mas aí começa a questão: focar no ganho de massa muscular ou na perda de gordura? Será que conseguimos fazer as duas coisas juntas? Obrigatoriamente vou aumentar meu percentual de gordura se eu focar no aumento da massa muscular? Vamos responder a todas essas dúvidas!

Para começar vamos entender o básico: em uma dieta para ganho de massa, seu nutricionista irá se concentrar em algumas sinalizações fundamentais para seu corpo entender que deve anabolizar ( construir, aumentar). Essas sinalizações ocorrem através dos hormônios. Como não iremos mexer diretamente com estes utilizamos os alimentos como mensageiros para tal! Isso mesmo a comida é uma sinalização!

Nós não enxergamos o alimento simplesmente como um número ou apenas um valor calórico. Já se foi o tempo em que em uma dieta para hipertrofia primeiro comíamos de tudo (com alto valor calórico) e depois nos preocupávamos em secar. Hoje em dia tentamos ao máximo trabalhar focando nas duas coisas ao mesmo tempo! É possível! Pois aumentando a massa muscular estamos aumentando também o “local” onde ocorre a perda de gordura – que é o músculo. Ou seja, aumentar a massa muscular significa aumentar/ acelerar o metabolismo (por isso é comum aumentar a fome também). Mas focar nas duas coisas ao mesmo tempo é um trabalho mais lento. Caso o seu objetivo seja um resultado mais rápido, o ideal seria focar somente em um objetivo de cada vez.

Então, voltando a questão hormonal, devemos estimular a insulina (que é o hormônio mais anabólico do corpo) para que haja a hipertrofia. A chave para não aumentar a gordura junto é saber exatamente o momento de estimulá-la. Caso contrário (se a insulina ficar alta o dia todo) iremos ganhar gordura inevitavelmente junto.

Olhando “de fora” parece fácil, mas é uma conta bem difícil de ser feita e nem sempre o nosso organismo age exatamente como esperávamos. Cada indivíduo é único e o nutricionista deve conhecer seu paciente para saber que tipo de alimento usar. Por exemplo: alguns indivíduos “se dão” super bem com carbos em pó (malto/ dextrose/ waxy maize) outros nem tanto.. Com algumas mulheres temos que ter muito cuidado com este tipo de carbo em pó, pois podem estimular o ganho de gordura.

Concluindo, se o seu objetivo é o ganho de massa você deve: aumentar a ingestão alimentar, mas sabendo exatamente a distribuição de carboidrato, proteína e gordura ao longo do dia. No pós treino a sua insulina deve subir (utilize os carboidratos para isso!), mas preocupe-se em reduzi-la nos outros momentos do dia utilizando fibras e alimentos de baixo índice glicêmico.

Só não vale ficar muito preocupada com a balança, pois ela provavelmente irá subir.. Muito mais importante é você gostar do visual no espelho! O peso não quer dizer nada! E, se a gordura aumentar um pouco, não se preocupe pois com mais massa muscular será mais fácil “secar” posteriormente…
Beijinhos!


 

Julia Engel

 
Nutricionista graduada na UFRJ e pós graduada em nutrição esportiva pela mesma universidade.
Além de atender em seu consultório próprio localizado em Ipanema no Rio de Janeiro, também é nutricionista da rede de academia Body Tech.
Colunista de importantes sites da área de saúde e atividade física, atuou também durante anos escrevendo a coluna -Nutrição Esportiva- no jornal A Voz da Serra.
Palestrante em congresso da área, Julia Engel ministra cursos de nutrição esportiva englobando fisiologia do exercício.

Posted on

Powered by